Notícias

17.05.18 | TRAC Comunicação

San Lorenzo e Boca Juniors prometem muita raça em campo no Jogo da TV

A sexta rodada da Superliga Argentina de Fútbol será toda disputada no campo do Colégio Marista Paranaense, neste final de semana. Serão quatro partidas no sábado (19) e duas no domingo (20). O Jogo da TV, às 15h30 de sábado, será entre San Lorenzo, que busca a quarta vitória seguida, e Boca Juniors, que vem sedento pela recuperação.

O San Lorenzo tenta manter a invencibilidade e ampliar a sequência de vitórias. “O San Lorenzo deu um susto no torneio início, mas não demorou para se encontrar quando o campeonato começou. Terminamos a quinta rodada com a defesa menos vazada entre as 14 equipes e isso deixa o time mais tranquilo para buscar o ataque. Vamos tentar manter o equilíbrio nas trocas e a disposição de todos os jogadores”, afirma o capitão Dizinho.

O comandante do Ciclón espera um adversário perigoso. “Não é surpresa um ataque com o Igão e mais dois piás rápidos fazer cinco gols em 45 minutos, mas serve de alerta pra quem precisa marcá-los. Se o jogo for de trocação, nós também temos potência pra levar o Boca a nocaute, na força do Franco, na qualidade do Chupeta, na velocidade do Vágner ou na chegada do Kadu”, ressalta.

Dizinho se refere ao último jogo do Boca Juniors: uma derrota para o líder Estudiantes por 7 a 5. Um resultado que deixa o time do capitão Nicolau com ainda mais vontade de reencontrar a vitória. “Estamos sofrendo muito com as ausências. Mesmo assim, acredito que fizemos dois grandes jogos, pecando nos detalhes. O ponto forte do Boca está no toque de bola e na velocidade do ataque. A chegada do Dioguinho vai dar uma dinâmica ainda melhor”, avalia Nicolau.

O líder do Boca reconhece a qualidade do rival, mas também reforça a confiança em sua equipe. “O Dizinho é um estrategista e conhece todos os atalhos do campo do Marista. A sequência de vitórias não é por acaso. Mas o Boca, mesmo com alguns desfalques, é um time muito equilibrado e guerreiro. Eu acredito demais no meu elenco. Não faltará vontade e garra no Boca. Quanto maiores são as dificuldades para vencer, maior é a satisfação da vitória. E é nela que estamos focados”, diz.

« Voltar para Notícias
Deixe seu Comentário