Notícias

03.11.16 | TRAC Comunicação

União e entrosamento são destaques de Lorient e PSG para o confronto da semifinal

O segundo confronto válido pelas semifinais da Ligue 1 do Clube de Pais do Colégio Marista Paranaense será entre Lorient e PSG, às 15h30 de sábado (5). Após passarem por Nice e Monaco, respectivamente, nas quartas de final, as equipes buscam largar bem nos primeiros noventa minutos das semifinais.

“Esperamos um jogo bem disputado. Novamente não somos favoritos, porém podemos surpreender a todos com a união do time”, falou Augusto Mazur, capitão do Lorient.

Segundo Dizinho, comandante do PSG, sua equipe buscará a vitória, mas aproveitará a vantagem do regulamento. “Pela sequência dos jogos, entramos de novo jogando por dois resultados iguais. Vamos estar determinados para vencer, mas com uma tranquilidade a mais que o adversário”, destacou.

Além disso, Dizinho confirma que a escalação da equipe será a mesma dos últimos jogos, mas que pode surpreender nas substituições. “O time está acertado faz tempo. Não tem muito espaço para invenção ou improvisos na escalação inicial. O difícil é conseguir mudar uma partida a partir de uma substituição um pouco diferente. A gente fica imaginando um milhão de combinações e muitas vezes na hora do jogo faz diferente”.

O Lorient, por sua vez, aposta na união do grupo como fator que pode decidir o jogo. “Somos uma família com um só objetivo: o título. Todos estão focados nessa partida. Posso destacar nossa união como o ponto forte contra o adversário”, falou Mazur, que ressalta alguns jogadores da equipe. “Quero enaltecer a vontade e entrega individual dos atletas do nosso time como Flávio, Mauricio, Voldir, Glaucir e Fernandão. Estão se superando a cada partida, se doando 1000% para o time em busca da vitória”.

Apesar dos destaques do adversário, Dizinho tem uma preocupação maior com um atleta que será desfalque no Lorient. “Preocupa mais a ausência do Marcinho Tiriça. Sem ele, o time fica muito mais calmo em campo e consegue levar mais perigo com Polaco, Cleverson e a chegada do Salame de surpresa. Toda a atenção será necessária”.

Já na sua equipe, o capitão vem aplicando ações para melhorar o entrosamento, que pode ser peça chave para o sucesso. “Estou tendo alguns encontros individuais com os jogadores. Terça-feira estive com o João Paulo no pagode para dar uma força no entrosamento e preparar umas jogadas ensaiadas. Capitão tem que saber como tirar o melhor de cada atleta”, afirmou Dizinho.

Mas a festa mesmo será feita em campo, como garante Augusto Mazur. “As Dodozetes prometem o famoso ‘Orange Hell’ para sábado com muita pressão, sinalizadores e barulhos ensurdecedores, empurrando o elenco. Aos capitães eliminados, deixo uma frase para refletirem: que elenco”.

Dizinho finaliza com um recado para todos os membros do Clube de Pais. “Prestigiem, assistam, brinquem, torçam e, principalmente, se divirtam. São só mais três finais de semana para a gente aproveitar”.

« Voltar para Notícias
Deixe seu Comentário